Regulamentação/Qualidade do vinho

A importância dos vinhos espanhóis -  Parte II


As normas de regulamentação dos vinhos da Espanha possuem estrutura rigorosa, apresentadas perante à União Europeia, visando manter a qualidade e alto padrão no processo de produção e venda das bebidas. O país vem implementando técnicas de modernização dos equipamentos e plantio das uvas para atender demandas de consumidores do mundo inteiro. 

As divisões estabelecidas pelo Conselho Regulador atualmente se dividem em Denominación de Origen Protegida (DOP) e Indicación Geográfica Protegida (IGP). Os vinhos que não se enquadram em nenhuma das duas categorias, são definidos somente como "vinos". Existem ainda subcategorias dentro das nomenclaturas principais. 

Os vinhos DOP são divididos em:


  • Denominación de Origen (DO): vinhos que seguem especificações em relação às variedades de uvas permitidas na produção, localização e modo de cultivo dos vinhedos.  Hoje, existem mais de 70 DOs no território hispânico, cada um com seu conselho regulador próprio; 

  • Denominación de Origen Calificada (DOCa): autorizada somente às DOs que existam pelo período mínimo de 10 anos, possuindo critérios mais rigorosos que em relação à comercialização e demarcação das áreas e bodegas inscritas. Atualmente, apenas as regiões de Rioja e Priorrat possuem esse status.

Os vinhos IGP são chamados também de Vino de la Tierra, categoria abaixo das classificações de denominação de origem, porém mais alta que os vinos ou vinhos de mesa. Existe ainda a nomenclatura de Vinos de Pagos (VP), originários de uma determinada com reputação elevada, com vinhos produzidos somente com uvas do local. 

O tempo  de envelhecimento das bebidas também interfere em sua definição. A legislação espanhola categoriza os vinhos pelo seu tempo em barricas de carvalho e garrafas antes de serem colocados para consumo, sendo:


Joven - comercializados no mesmo ano de produção, ou no seguinte;


Crianza - passam por um estágio de no mínimo dois anos e pelo menos seis meses em barrica de carvalho;

Reserva - passam por estágio mínimo de três anos e pelo menos 12 meses em barrica de carvalho;

Gran reserva - passam por estágio mínimo de cinco anos e pelo menos 18 meses em barrica de carvalho.

Outro fator que contribui para a grandeza dos vinhos hispânicos é a variação abrangente de castas que são encontradas em seu território, permitindo diversificação, somadas aos diferentes tipos de clima.